• Ermes Costa

Valorização das e dos professores da UPE #NósDefendemos

Atualizado: Fev 17

Remunerações justas, ambientes de trabalho dignos e tempo para planejamento são indispensáveis para a valorização das e dos professores.


Estamos em fevereiro de 2020, há quase 7 anos fui aprovado no Concurso para professor efetivo da Universidade de Pernambuco (UPE), foi uma grande alegria e sentimento de conquista profissional. Neste período, a minha remuneração sofreu reajustes no total que não ultrapassam 5%, congelamento salarial que alcança 5 anos. Enquanto que as perdas salariais nos últimos 7 anos já atinge o patamar de 40%, com base nos estudos realizados pelo Departamento Intersindical de Estudos Econômicos e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).


Esses dois dados, quando comparados, define como prioridade o item "reajuste salarial" de qualquer pauta de negociação com o governo de PE. É nesse ambiente, que a ADUPE, seção sindical dos docentes da UPE, responsável pelas negociações relativas à pauta de reivindicação da categoria, combativa entidade de defesa das e dos professores da UPE, divulgou no dia 3 de janeiro de 2020, um comunicado com a resposta do governo para o item relativo ao reajuste salarial:


"Posição do Governo: Atendimento comprometido para o atual momento, devido à relação entre a Receita Corrente Líquida e o total de despesa com pessoal do Estado ter atingido o índice de 48,31% (o limite prudencial é de 46,55%), trazendo impedimentos legais previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal."


O professor Luciano Nakabashi, da USP, falou na coluna Reflexão Econômica da Rádio USP, em 04 de dezembro de 2019, que o Brasil ficou em último lugar em relação à valorização do professor, e 91% das pessoas acham que o professor não é respeitado em sala de aula, segundo estudo realizado em 35 países, divulgado pelo Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) e coordenado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).


Ele afirma: “Se a gente não consegue valorizar o professor, como aponta o estudo, não conseguimos atrair pessoas que queiram seguir essa carreira”. Para melhorar, segundo o professor, é importante que se dê uma melhor condição de trabalho aos professores: “É fundamental começar a valorizar mais a profissão”. Ainda destaca, uma correlação entre valorização do professor e grau de desenvolvimento econômico. “É preciso que seja oferecida uma educação de qualidade na escola para existirem pessoas qualificadas no mercado de trabalho.”


Nesse cenário de adversidade e dificuldades financeiras do estado de PE e ambiente no Brasil e baixa valorização do professor, conforme estudo do Professor Nakabashi, que a UPE se insere, a falta de valorização das e dos professores impactam diretamente no papel transformador da Universidade. As e os docentes devem ter remunerações justas e dignas, ambientes e condições de trabalho que permitam a prática de ensino, pesquisa e extensão, também devem ter tempo para planejamento, desenvolvimento e execução de propostas pedagógicas que venham a contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e igual, no contexto econômico, tecnológico e social.

Nós vamos entrar nessa luta. #NósDefendemos melhores salários para as e os professores, #NósDefendemos ambientes e condições de trabalho dignos, #NósDefendemos a construção de uma sociedade mais justa e igual, menos preconceito e mais oportunidade de empregos e o direito à moradia.


#NósDefendemos

#peloFuturodoRecife

#ErmesCosta



13 visualizações

© ErmesCosta #peloFuturodoRecife

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube